A apresentadora Xuxa Meneghel narra imagens inéditas captadas pelos drones da Mercy For Animals em uma fazenda de porcos do Brasil.

As cenas mostram animais sendo agredidos com bastões e recebendo dolorosos choques elétricos, além de uma enorme fossa a céu aberto, repleta de dejetos de animais.

VOCÊ PODE AJUDAR!

Se você também quer que imagens como essas sejam coisa do passado, junte-se a nós na luta pelo fim das fazendas industriais.

AINDA MAIS SOFRIMENTO

Em 2017, a Mercy For Animals capturou imagens em uma granja de porcos cooperada da Aurora. O vídeo mostra a agonia de porquinhos no momento em que funcionários serram seus dentes, cortam seus rabos e pedaços de suas orelhas, sem qualquer anestesia. E o sofrimento inimaginável de suas mães, vivendo presas em minúsculas celas de gestação, num espaço tão pequeno que elas não podem sequer se virar de lado.

palavra dos especialistas

As vocalizações e movimentos de tentativas de fuga colocam em evidência o sofrimento ao qual os animais estão sendo submetidos. Embora estes procedimentos sem anestesia e analgesia sejam feitos rotineiramente nas granjas de suínos, nada justifica submeter os animais a um alto grau de sofrimento.

Santiago Rucinque, Médico Veterinário, mestre em Ciências Veterinárias

Realizar esses procedimentos cirúrgicos altamente invasivos sem o controle da dor é injustificável e desnecessário, dada a nossa consciência sobre a dor que eles infligem. Uma porca estava claramente aflita quando os leitões estavam tendo suas caudas amputadas e seus dentes e orelhas cortados.

Katherine Van Ekert Onay, Médica Veterinária

Fiquei chocada ao ver um trabalhador realizar o corte da cauda, entalhar a orelha e cortar os dentes de um pequeno leitão, sem qualquer analgésico ou anestésico[…] É possível ver o leitão gritando e se contorcendo em agonia enquanto seu corpo estava sendo mutilado. Eu fiquei horrorizada.

Armaiti May, Médica Veterinária

O bem-estar dos leitões e das porcas neste vídeo é muito baixo, e os animais sofrem de dor, frustração, lesões e estresse devido a dolorosos procedimentos de mutilação.

Debra Teachout, Médica Veterinária, mestre em Ciências Veterinárias

Não é de surpreender que, como é o caso em praticamente todos os animais mantidos em confinamento, as porcas mordem compulsivamente as barras de metal das celas, um comportamento estereotipado clássico, indicativo de estresse significativo imposto aos animais pela falha do sistema em atender às necessidades naturais dos
animais.

Bernard E. Rollin, PhD

As práticas de cortar a cauda e identificar os leitões através de cortes nas orelhas sem anestesia são mutilações e deveriam ser proibidas[…] Podemos afirmar que o grau de bem-estar destes animais é baixo e, portanto, esses animais estão em sofrimento.

Roberta Sommavilla, Médica Veterinária, doutora em Zootecnia

CELASDE GESTAÇÃO

Nessas celas de gestação individuais, as porcas são privadas de praticamente todas as atividades que lhes seriam naturais.

Muitas delas enlouquecem com o tédio, a depressão e o estresse, e exibem comportamentos neuróticos, como morder as barras de metal das celas ou balançar suas cabeças sem parar.

eles são apenas bebês

Porquinhos são dolorosamente mutilados com poucos dias de vida. Eles têm seus dentes, rabos e orelhas cortados sem qualquer anestesia. Essas práticas podem resultar em inflamação e infecção, e consequentemente alterações do comportamento e dor por até 41 dias.

DESTRUIÇÃO DOMEIO AMBIENTE

A alta concentração de esterco, como em lagoas de resíduos de suínos, tem uma demanda bioquímica de oxigênio – a quantidade de oxigênio necessária para decompor a matéria orgânica – 75 vezes maior do que a de esgoto humano bruto e 500 vezes maior do que a descarga de esgotos municipais.
O resíduos de esterco de fazendas industriais podem contaminar as águas superficiais, matando peixes e outros animais aquáticos, criando “zonas mortas” sem oxigênio em águas interiores e costeiras.

participe do desafio 21 DIAS SEM CARNE

Cada vez mais pessoas estão escolhendo uma alimentação livre de produtos de origem animal. Essa é a melhor forma de ajudar os animais.

Você pode fazer parte dessa mudança.

CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR